Museu Britânico

Duração: 1.5 Horas

Dizemos na Inglaterra: você pode gastar muito dinheiro e ir ao redor do mundo, mas não vale a pena, porque em 90 minutos no Museu Britânico será um bom substituto para o seu cara rodada viagem pelo mundol! Vamos ver os belos mármores Elgin, ir para a Mesopotâmia e ser visitantes de honra do Rei Assírio; Nós resolveremos o mistério do enterro do navio de Sutton Hoo e no fim nós encontraremos sobre o segredo enterrado da múmia.

O Museu Britânico é um marco fundamental no estabelecimento do método museológico, além de representar diversos aspectos característicos tanto da sociedade inglesa vitoriana quanto do pensamento político e científico do século XIX. Aberto em 15 de janeiro de 1759, após a aprovação do rei Jorge II em 1753, foi o primeiro grande museu público, gratuito, secular e nacional em todo o mundo. Não foi, entretanto, o primeiro museu moderno. O Museu Ashmolean, de Oxford (1679), tem o mérito de ter sido a primeira grande instituição museológica destinada especificamente a exposições públicas, organizadas para propósitos educacionais.

Ao ser fundado, o Museu Britânico reuniu três coleções: a Cottonian Library, coleção de manuscritos medievais de Sir Robert Cotton (1570-1631), os manuscritos da coleção do Conde de Oxford, Robert Harley (1661-1724) e a enorme coleção de Sir Hans Sloane (1660-1753), composta de antigüidades clássicas e medievais, moedas, manuscritos, livros, quadros e gravuras, além das peças que formariam o núcleo central do Departamento de História Natural do Museu Britânico. A enorme heterogeneidade dessas coleções sem dúvida foi a característica mais marcante dessa fase. O museu não estava tão distante dos gabinetes de curiosidades que marcaram a Europa no século XVIII: era pouco mais do que um enorme amontoado de objetos sem nenhuma classificação ordenada, apresentados menos para propósitos educacionais do que para “exaltar o espírito e enaltecer o progresso da humanidade”.

This post is also available in: Inglês Espanhol Italiano Russo